Que nunca te falte a estrada que te leva e a força que te levanta. O amor que te humaniza e a razão que te equilibra.
Pra ser totalmente sincero com você, a real é que não é sua situação conjugal que te faz feliz ou triste. Conheço casais extremamente felizes e outros que estão há anos fingindo que dão certo. Conheço gente solteira que tem a vida que pedi para Deus e outros desesperados baixando aplicativos de paquera e acreditando que a(o) ex era o grande amor e que perdeu sua grande chance. Quanta bobagem. A verdade é que só você mesmo pode preencher o seu vazio, e colocar essa missão nas mãos de outra pessoa e pedir pra ser infeliz. Conheço sim vários casais incríveis, assim como tantos outros que não enxergam que estão se matando pouco a pouco. Só peço que não deixem que o medo da solidão faça com que a tristeza pareça algo suportável. Viver sozinho no início pode parecer desesperador, mas de tanto nadar contra a maré, um dia você aprende a surfar. E te digo que quando esse dia chegar, você nunca mais vai se contentar em ficar na areia. Desse dia em diante só vai servir ter alguém ao seu lado se este estiver disposto a entrar na água com você.
— Guilherme Archas

I’m not the only one

Muitas das vezes em nossas vidas passamos por momentos difíceis, as vezes complicados, sem saída no momento. Temos sempre duas escolhas indesejáveis: esperar ou enlouquecer !

Por diversas vezes optamos por esperar que passe, ou que venha uma solução mágica para o que estamos passando. Esperamos que melhore mesmo sem essa possibilidade no momento, ou que piore quando temos outra opção. Mas esperar é definitivamente uma escolha pouco eficaz e em muitos casos, covarde.

Se optamos em enlouquecer, fazemos muitas das vezes escolhas que levaremos as conseqüências pelo resto da vida, as vezes uma palavra certa dita num momento errado, as vezes uma atitude momentânea para lembranças de matar sonhos futuros.

Entendi que muitas das vezes, em momentos em que estamos parados sem saber o que fazer, olhando para um futuro desejável , ficamos a espera de opções que aparentemente não se tornam reais… Vem a vida com toda a coragem e loucura que ela tem e nos empurra no desconhecido !

A primeira vista pensamos que cairemos em um precipício, onde certamente nos machucaremos, onde nos perderemos, onde não vemos opções de mudanças… Mas percebi que de tantos empurrões que levei, vi que quando eu caia, antes eu tropeçava em alguma coisa para que isso acontecesse…

Percebi que antes do precipício sempre há um degrau.
Esse degrau determina se você subirá ou cairá, a escolha é somente e exclusivamente sua. As vezes precisamos cair para se reerguer, as vezes entendemos o acontecimento e subimos mais, mas definitivamente esse degrau de reconhecimento é inevitável.

Que entendamos que todas as vezes que nos machucam, que ferem nossos sentimentos, que nos empurram para a vida, que não correspondem as expectativas, nos vemos sempre diante de um precipício onde teremos que ter coragem para nos jogar, mas que tenhamos sempre a visão de que sempre temos a opção de subir mais um degrau…

Que a vida te empurre muitas vezes amigo(a), e que cada empurrão que você levar, seja para que você suba e melhore cada vez mais como pessoa única que és.

— F.S.
É exatamente disso que a vida é feita, de momentos.
Momentos que temos que passar, sendo bons ou ruins,para o nosso próprio aprendizado.
Nunca esquecendo do mais importante: Nada nessa vida é por acaso.
Absolutamente nada. Por isso, temos que nos preocupar em fazer a nossa parte,
da melhor forma possível.
A vida nem sempre segue a nossa vontade,
mas ela é perfeita naquilo que tem que ser.
Eu me sinto sufocada. É como se eu tivesse me atirado no mar com uma âncora presa aos meus pés, só que eu não consigo voltar para superfície, então começo a me debater feito desesperada sentindo aquela sensação de afogamento. Meus órgãos internos começam a doer loucamente por se sentirem espremidos, e minha única vontade no momento é de poder respirar direito e sentir o gosto da liberdade. Só que faz tempo que eu não sei o que é respirar direito.
Thiara Macedo